Cresce volume de pessoas dispostas a deletarem redes sociais



A mídia social se tornou uma parte essencial para os negócios, mas para parte das pessoas ela ainda é dispensável. Embora as redes sociai


s tenham muitos atributos positivos, às vezes pode ser um ambiente tóxico – um exemplo recente foi o vivido pelo jogador de futebol francês aposentado Thierry Henry, que abandonou as redes sociais devido ao cyberbullying e ao racismo. Deletar a própria conta no Instagram, Twitter ou Facebook vem se tornando desejo de muitas pessoas em to


do o mundo, como aponta a pesquisa realizada pelo Reboot Online.


O volume de pesquisas recorrentes no Google por indivíduos que querem abandonar as redes sociais vem crescendo. “Como excluir a mídia social?”, “como excluir o Facebook?”, “como excluir o Instagram?”, “como excluir o Tumblr?”, “como deletar o TikTok?”, “como deletar o Twitter?” e “como deletar o Snapchat?” são buscas online que mais significam o desejo dos usuários de abandonar as redes sociais.

Os americanos são os mais propensos a abandonar a mídia social, com uma média de 1.134.400 pesquisas online por mês, indicando sua intenção de deixar a mídia social para sempre. O equivalente a 36.594 pesquisas online por dia. Quando colocado no contexto de quantos usuários de Internet ativos existem na América (312.320.000), isso equivale a 0,363% dos usuários d


e Internet americanos que desejam encerrar as mídias sociais.

Em segundo lugar está a Índia, com uma média de 497.940 pesquisas online por mês por indianos, sinalizando seu desejo de abandonar as mídias sociais. Reino Unido (308.850 pesquisas online), Canadá (109.120 pesquisas online) e Austrália (97.060 pesquisas online) estão entre os outros países onde há mais de 90.000 pesquisas online por mês de cidadãos indicando sua ambição de abandonar a mídia social em um futuro próximo, respectivamente em terceiro, quarto e quinto lugar.

O Brasil está em 28º lugar, com uma média de 5.660 pesquisas online todos os meses de brasileiros demonstrando seu desejo de sair das redes sociais permanentemente. Ao considerar a quantidade de internautas ativos no Brasil (160.010.801), 0,004% dos internautas brasileiros desejam abandonar as redes sociais a cada mês.


Na outra ponta, em 20º lugar, está a Espanha, com uma média de 3.330 pesquisas online por mês de cidadãos espanhóis que mostram sua aspiração de deixar as redes sociais para sempre. Quando colocado no contexto de quantos usuários de Internet ativos existem na Espanha (42.400.756), 0,008% dos usuários de Internet espanhóis desejam encerrar as mídias sociais mensalmente.

Como contribuir para que sua marca não seja tóxica?



Notificações Push são estratégias muito boas para retomar o contato com um cliente, porém o volume delas acaba por distrair demais os consumidores. Avalie a frequência de disparos para que sua marca ao invés de ser lembrada não ganhe repulsa.

Outro ponto que colabora para o cansaço das redes sociais é o volume de posts para acompanhar. Todas as empresas querem criar conversas e surfarem no assunto do momento, porém tudo que é demais enjoa. Triar bem as pautas pode colaborar para que su


a marca seja relacionada a temas específicos.

Boa parte dos usuários tem escolhido determinados horários para acessar as redes sociais. Estude bem seu Analytics para saber quando seu cliente está online e aberto a receber seus posts. Uma boa ferramenta de monitoramento de redes sociais pode orientar a entender qual formato agrada mais em determinado período ou dia da semana.



Com as mídias sociais, pode ser fácil se envolver em debates inúteis ou se fixar em memes / vídeos de comédia, mas por que não tornar produtivo o tempo gasto nas mídias sociais? Existem muitos influenciadores educacionais de uma variedade de áreas, como finanças e tecnologia que estão em ascensão justamente por oferecerem conteúdo com autoridade. Realizar campanhas com eles é uma boa forma de ser visto.

O Reboot Online utilizou a ferramenta de análise online Ahrefs para estabelecer quais países os cidadãos têm maior probabilidade de abandonar a mídia social com base em pesquisas online importantes, indicando sua intenção clara de encerrar a mídia social.