Efeitos da pandemia: 88% dos brasileiros pretendem comprar menos por impulso

A pandemia do Covid-19 vai deixar muitas marcas e com certeza provocar algumas mudanças em nossos hábitos de vida e de consumo. Um estudo da Hibou e Indico aponta que viagens e reformas em casa (manter um espaço mais agradável e confortável, já que agora passamos muito mais tempo dentro delas) são os investimentos mais desejados pelos brasileiros após o isolamento social.

A pesquisa aponta que novos hábitos vieram para ficar, como, por exemplo, em relação ao trabalho, ao consumo de produtos e serviços e à convivência com os familiares. O estudo realizado entre os dias 17 e 18 de abril com mais de 3 mil brasileiros aponta a grande mudança que o consumo está sentindo e vai sentir depois pandemia. E, nesse novo cenário, impactos financeiros já aparecem para a maioria dos brasileiros (64% dos entrevistados disseram sentir o impacto negativo do isolamento em seus ganhos financeiros) e, somente para uma minoria de 2,7%, os impactos desse novo momento foram positivos. É certo também que alguns setores souberam se adequar mais rapidamente a essa nova realidade, como o delivery de alimentos.

Outro dado significativo e que tem contribuído para esse impacto desfavorável na economia, é que mais da metade dos brasileiros, 53,7%, têm evitado qualquer tipo de compra desnecessária, enquanto 34,7% têm medido melhor a necessidade de uma compra. Somente uma minoria, 5,6%, está apenas aguardando para retomar seus hábitos de compra.

O consumo consciente deverá nortear 88,4% dos brasileiros e o resultado será comprar menos por impulso, pensando mais no que vai gastar. Isso refletirá nas marcas famosas que até então tinham a preferência desse mesmo público, pois 72,2% afirmam que estão menos dispostos a pagarem mais caro por um produto só por ser de uma marca famosa e de que gostam.

Já o consumo local deverá ganhar espaço na visão dos entrevistados: 61,5% deles disseram estar mais dispostos do que antes a pagar um pouco mais caro por um produto que ajude a sua região ou cidade. Preocupante para os shoppings são os dados que mostram que 40% dos brasileiros querem valorizar mais o comércio de seus bairros. E para 17,7% a compra pelo digital será sua definitiva primeira opção. De todos os mercados, o Pet se mostra o menos afetado por cortes no futuro, pois apenas 10,7% pretendem reduzir seus gastos com bichinhos em relação a antes da pandemia. Fonte: Segs

  • Black Facebook Icon
  • Black Instagram Icon