O papel social dos influenciadores em momentos de crise

Nunca imaginei como seria vivenciar um momento da histórico e é inegável que o momento que estamos vivendo ficará marcado como um dos grandes acontecimentos dos nossos tempos. Ninguém poderia prever um vírus que iria parar o mundo e os impactos da Covid-19 não só na economia como na sociedade como um todo ainda são um mistério, mesmo para os especialistas. Estamos vivenciando hoje mudanças que provavelmente transformarão nossa forma de trabalhar, de consumir e de nos relacionar para sempre. Como grande curiosa sobre fenômenos digitais e seus impactos, passei a acompanhar e buscar compreender as transformações pelo viés não só tecnológico, como também social, já que sabemos que muito da inspiração das novas gerações vem do ambiente digital. É ali onde surgem as mais diversas tendências, mediadas muitas das vezes por influenciadores, que surgem como curadores de informações e como possuem um grande impacto na tomada de decisão de um grande número de pessoas. Como exemplo do potencial de impacto positivo em momentos de crise temos o da Finlândia, com uma ação coordenada pela primeira ministra Sanna Marin, uma das chefes de estado mais jovens do mundo. Ela compreendeu rapidamente que nem toda a audiência da grande mídia poderia ter penetração nas gerações mais jovens e soube utilizar os influenciadores como agentes chave para disseminar a importância dos cuidados e isolamento social neste período. Para compreender melhor como as pessoas estão mais

ligadas nas redes sociais, a Squid realizou um estudo para compreender o comportamento das pessoas na primeira semana de quarentena no Brasil na semana de 15 até 21 de março comparando com o mesmo período do ano passado e foi registrado um aumento de 24.2% na taxa de engajamento e mais de 27% no alcance efetivo dos stories publicados dentro do Instagram. Já comparando os conteúdos postados em campanhas Antes da Quarentena e Durante da Quarentena, também temos acréscimos nas métricas dos stories. Sendo o mais relevante o alcance efetivo que cresceu e 14.8%. Isso mostra que as pessoas estão buscando mais conteúdo online. E com isso é uma boa oportunidade de espalhar informações úteis. Um exemplo disso é a hashtag #DistânciaSalva, movimento criado por um grupo de publicitários, que disseminam a importância do distanciamento social e navegando brevemente é possível ver como as pessoas além de inspirar, agora motivam. E o mais importante, espalham a mensagem de que está tudo bem e que vamos passar por isso. Outro exemplo do impacto social dos influenciadores estão causando, o jornalista brasiliense Thiago Miranda, iniciou uma campanha para incentivar microempreendedores e profissionais autônomos nas redes, em alguns dias recebeu tantas respostas, que entendeu a necessidade de ampliar essa oportunidade de divulgação e hoje, a rede de ajuda conta com celebridades, como Thaynara OG, Jonas Sulzbach, Rica de Marré, entre outros. E a rede de apoio continua a aumentar e quem é impactado, ajuda as empresas divulgadas e assim diminui os efeitos da epidemia sobre os negócios. Ações como essa e várias outras que estão priorizando as pessoas e criando círculos de apoio para diversas comunidades. Por isso muito além das campanhas com as marcas, os criadores de conteúdos se tornaram amplificadores de informações para as pessoas. A criatividade e a confiança que possuem é como receber conselho de um amigo. E hoje, é fácil notar o quanto o marketing de influência tem um papel social para, também, trazer a informação de que vai ficar tudo bem.

Fonte: Mundo do Marketing.

  • Black Facebook Icon
  • Black Instagram Icon