Tempestade de cérebro: 5 técnicas para melhorar seu brainstorming

May 10, 2018

Se duas cabeças pensam melhor do que uma, imagine várias cabeças pensando juntas na solução de um mesmo objetivo. Essa é a ideia central do brainstorm, uma técnica criada em 1948 pelo publicitário estadunidense Alex Osborn.

 

A “tempestade de cérebro” consiste na reunião de um grupo para exposição de um problema a fim de obter ideias e reflexões para uma resolução. Mesmo as ideias que parecem muito simples ou muito absurdas devem ser colocadas à mesa durante o brainstorming, que é um momento para deixar fluir os mais diversos tipos de pensamentos.

 

Após essa “chuva de ideias”, deve ser feito um filtro para selecionar as melhores sugestões para análise e formatação do planejamento e da execução do projeto. 

 

A técnica é muito utilizada no mercado publicitário para a criação de campanhas, mas pode ser aplicada em várias situações, como criação de textos, idealização de um produto ou de um serviço e

reestruturação de um processo, por exemplo.

 

Outras utilidades são a identificação de boas pautas, a organização de palavras-chaves do seu cliente, a busca por melhoria de um processo na empresa e para o que mais a sua imaginação permitir.

 

Para tornar seu  brainstorming mais eficiente, reunimos algumas das principais técnicas que podem ser utilizadas nesse momento de inspiração. Confira.

 

 

 

 

Prepararo

 

Em dezembro de 2012, o professor Ralph Keeney publicou um artigo na revista Decision Analysis aprimorando a técnica de brainstorming tradicional. Segundo ele, não basta reunir um grupo em busca de ideias. É mais eficiente apresentar o problema ao grupo e passar algumas coordenadas antes da reunião de brainstorming em si.

 

Para o professor, uma equipe que estuda o assunto e foca os seus esforços na resolução do problema antes da reunião pode trazer ideias e soluções mais eficientes. Portanto, o ideal é delegar materiais de estudo individuais para que a equipe pense e se esforce, separadamente, buscando soluções para o problema proposto. Em seguida, uma reunião com a equipe para apresentação das soluções propostas pode gerar muito mais resultados. Seja pela soma de ideias ou pela descoberta de uma solução superior às demais.

 

Post-its

 

No brainstorming, os papeizinhos autocolantes são fundamentais por que trazem mais visibilidade para as ideias e agilidade para o processo, além de inspirar a equipe a participar mais efetivamente. Dê um bloquinho a cada membro da equipe e uma caneta. Peça para que escrevam as suas ideias e para que possam ir colando-as em um quadro compartilhado (vale desenhar também).

 

Essa atividade dará uma visão geral da sintonia da equipe e poderá ser um ponto de partida para obtenção de uma boa ideia de execução do projeto. Lembre-se de moderar a reunião para evitar conflitos e deixar que as ideias floresçam sem preconceitos. O brainstorming é um espaço para criação e inspiração, as ideias apresentadas não são definitivas e passarão por uma triagem. Portanto, toda contribuição é válida.

 

Brainstorming reverso

 

E se, ao invés de trazer soluções, a equipe apresentar ações para ampliar o problema? Parece estranho? Pois saiba que essa técnica pode ser um caminho interessante. Por exemplo, supondo que o problema seja “como atender o cliente de maneira mais cordial?”, invertendo-o, a questão ficaria “como atender o cliente de maneira menos cordial?”.

 

As respostas à 2ª questão trarão uma lista do que não fazer no atendimento ao cliente. Mais do que isso, podem trazer questões que estão sendo executadas no momento, mesmo que sem intenção, e abrem a possibilidade de apontar pontos de mudança e de melhoria. Conhecer as minúcias de algo que causa um problema ajuda a corrigi-lo com mais eficiência. 

 

Mindmapping

 

Que tal resumir o problema em, no máximo, 3 palavras? Esse é o 1º passo para aplicar a técnica de mindmapping (ou mapa mental) durante o brainstorming. Funciona assim: a partir dos 3 termos que sintetizam o problema, você e a sua equipe pensarão em palavras relacionadas e as escreverão em uma grande folha, sempre ligando umas às outras com uma linha.

 

Depois de esgotar as ideias para as 3 palavras originais, faça o mesmo para as palavras derivadas. Prossiga até preencher todo o espaço ou até surgir uma boa ideia no meio do caminho.

 

Brainstorming tangível

 

Imagine agora que o desafio da sua equipe é melhorar a embalagem de um produto. Torná-la mais bonita, sustentável e prática para manuseio. A tangibilidade é uma boa técnica para utiliza, nesse caso. Afinal, com a embalagem atual em mãos, ou até mesmo com protótipos ainda não aprovados, fica mais fácil para equipe perceber e identificar os principais pontos de melhoria.

 

E esse é só um exemplo. A aplicação pode servir também para ilustrar melhor as situações e trazer o cenário esperado em evidência para os participantes. Por exemplo: se a reunião é para discutir uma ação para um público que adora correr, que tal trazer um squeeze, um tênis de corrida e alguns aplicativos de corrida para o centro da mesa?

 

Quando a equipe está mais imersa no mundo do público-alvo, fica mais fácil compreender as suas necessidades, expectativas e, claro, menos penoso ter ideias úteis para oferecer soluções a esse público.

 

A utilização das técnicas de brainstorming para planejar ações e serviços mais eficientes para o público é, sem dúvida, uma ótima estratégia para quem deseja acertar. Implante nossas dicas e descubra todas as possibilidades da “tempestade de cérebro”.

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

  • Black Facebook Icon
  • Black Instagram Icon